Atletas da Fé

histórias de milagres

Mário

 

 

Quando morei na cidade de Guaratinguetá e frequentava a Igreja do Portal das Colinas, a qual faz parte do distrito de Lorena e que pertence a Missão Paulista do Vale.

          Nesta igreja, pedi ao pastor que me deixasse fazer uma semana de oração e disse-lhe que ao longo da mesma, eu estaria ministrando uma série de estudos bíblicos e caso alguém freqüentasse todos os cultos e quisesse se batizar ao final da semana, se ele faria o batismo. O pastor Luis Henrique Sena, distrital de Lorena, disse-me que se ocorresse um milagre desta natureza, ele, com prazer, faria o batismo.

 

 

          No sábado, encerrei o culto com um forte apelo para que os membros presentes, ainda não batizados, aceitassem a Jesus como salvador pessoal. Várias pessoas foram a frente e eu lhes disse que se viessem toda a semana e mantivessem firme sua decisão, no final da mesma elas selariam suas vidas com Cristo pelo santo batismo. Os membros mais antigos achavam difícil e até não apoiavam que alguém pudesse ser batizado com somente sete estudos bíblicos..

          Veio o domingo, a segunda e a partir da terça, o tempo virou e poucas pessoas compareceram ao culto. No entanto, meu entusiasmo e minha fé de que alguém pudesse tomar uma decisão sincera por Cristo, continuava firme, pois observava que, todos os dias, mesmo com a igreja quase vazia, sempre ao fazer o apelo, haviam pessoas que aceitavam.

          Na quarta-feira houve um grande temporal. Não seria para estranhar se o templo ficasse praticamente vazio, apenas com os irmãos que tem carro, porque a chuva caia muito forte. Ocorreu o cântico, a oração inicial e, olhando para o salão, podia-se contar nas mãos o número de adoradores. Entre eles, pude observar um senhor que se encontrava completamente molhado, porque o mesmo tinha vindo a pé e seu guarda-chuva não lhe protegeu da enxurrada.

         Algo que notei neste senhor ao longo da semana de oração foi que não perdeu nenhum culto, no entanto, não havia aceitado apelo nas noites anteriores, como o fez naquela noite chuvosa. Somente ele e uma jovem vieram a frente quando fiz o convite, encerrando mais um culto da semana de oração. Passou a quinta e vindo a sexta-feira, eu estava na expectativa se o Espírito Santo iria recrutar alguém para as fileiras do Exército Celestial. Quem aceitaria o apelo para o batismo e estaria habilitado ao mesmo?

          Nos sete dias em que preguei as verdades do evangelho eterno, várias almas se apresentavam diante do altar do Senhor, dizendo-se candidatas ao batismo. Algumas delas, tomaram esta decisão mais de uma vez, porém, para minha surpresa, quando chegou o dia do apelo final, aquele que só fora uma única vez a frente para a oração de consagração, foi o que verdadeiramente entregou sua vida nas mãos de Jesus, seu nome: Mário.

          Quando perguntei ao senhor Mário por que ele não havia aceitado os apelos nas noites anteriores, o mesmo me confessou ser uma pessoa muito tímida e já havia tomado sua decisão, porém, só se manifestou publicamente naquela quarta-feira porque ocorreu a tempestade e a igreja encontrava-se quase vazia.

          Por isso, glórias e honras ao nosso Deus do céu que, conhecendo o coração do Mário, enviou aquele temporal a fim de que este desse o passo certo para sua salvação eterna. Amém.

Open chat