histórias de milagres

Joice e Rodrigo

Na época em que ocorreu o milagre da conversão do casal Joyce e Rodrigo, eu e minha família freqüentávamos a Igreja do Portal das Colinas de Guaratinguetá.

Esta congregação faz parte do distrito de Lorena, o qual está inserido na Missão Paulista do Vale. O pastor Luis Henrique Sena é quem cuidava do pequeno rebanho deste distrito. Este, já havia visitado a família do Sr. Geraldo Magela, o pai de Rodrigo. Entendeu o pastor que esta família necessitava de ajuda espiritual urgente e me pediu que lhes oferece um estudo bíblico.

Atendendo a este apelo, os procurei e fiquei feliz quando disseram que teriam prazer em me receber para uma nova série de estudos da palavra de Deus, uma vez que já conheciam muito e só lhes restava coragem para abraçar a verdade.

Foi durante os encontros evangelísticos que, além do Magela e sua esposa, conheci melhor o jovem casal “Joyce e Rodrigo”. Ambos cheios de vontade de viverem uma vida feliz ao lado de Jesus, porém, marcados por passos em caminhos que os levaram a tristeza e dor. Falo isto me referindo ao que Rodrigo me contou, uma vez que estava se unido a Joyce vindo de uma relação conjugal infeliz, tendo deixado um filho menor com a outra mulher. Também, envolvido em más companhias, acabou sendo preso e condenado a 4 anos de reclusão. Tendo sido solto antes do término da pena por bom comportamento, naturalmente pela misericórdia de Deus, agora, disse-me ele, só me resta procurar a Cristo a fim de poder ter paz neste mundo.

Foi assim que ele e a Joyce fizeram com muita dedicação a série de sete estudos bíblicos e a cada lição, diziam que desejavam o quanto antes selarem suas vida por meio do batismo.

Finalizado os estudos, Joyce e Rodrigo não puderam ser batizados porque não eram legalmente casados e precisavam consolidar sua união matrimonial. Tendo eles me dito que iriam adiar um pouco seu casamento com Cristo, fiquei triste, más compreendi a situação pela qual passavam. Disse-lhes que agora eles conheciam toda a verdade e que Deus iria continuar a lhes incomodar a tomarem uma firme decisão, tanto pelo casamento, quanto pelo batismo e que também os céus iriam lhes ajudar nesta difícil situação. Prometi orar especialmente por esta causa.

Deixei de frequentar a casa do Magela depois dos estudos e quase não me encontrava com o casal. Porém, passados muitos meses, estes apareceram de repente na Igreja do Pedregulho, local onde congrego atualmente. Depois do culto, os procurei e, naturalmente, lhes perguntei sobre o casamento e o batismo. Me disseram que estavam passando por dificuldades para resolver sua relação matrimonial e, se encontrassem alguém que os ajudasse, imediatamente eles se casariam e se batizariam.

Neste instante, compreendi que Deus outra vez me dava a oportunidade de ajudá-los. Assim, contemplamos a beleza da santidade e infinita misericórdia do nosso amado Deus, provendo os meios para o matrimônio civil e espiritual deste lindo casal.

A Ele, portanto, toda honra e glória pelos séculos dos séculos. Amém.