histórias de milagres

Fabíola

        Vila Velha é uma cidade que fica localizada no litoral do estado do Espírito Santo. Próximo a esta cidade existe uma praia por nome “Praia do Forte”. Foi neste local, em uma madrugada fria, em janeiro de 2000, época em que eu estava fazendo minha viagem do Rio de Janeiro até Belém do Pará, que ocorreu um dos milagres de conversão mais bonitos que tenho conhecimento em meus 14 anos de vida como Adventista do Sétimo Dia.

        Os fatos ocorreram assim: Quando larguei do Rio de Janeiro, depois de uma semana viajando, cheguei numa sexta-feira em Vila Velha. Nesta cidade, fui convidado para pregar no culto divino.  A igreja estava repleta e muitas pessoas tinham ido ao culto na intenção de conhecer a história do atleta missionário. Isto me deixa entusiasmado e Deus me inspira a pregar com poder. Ao final do sermão e feito o apelo, dezenas de pessoas aceitaram a Cristo como seu salvador pessoal.

         No término do culto, o pastor me pediu para repetir o testemunho na vigília que ele iria começar às 22:00 horas deste sábado e na qual se batizariam quatro pessoas. Fiquei feliz com este convite e me prontifiquei a retornar à igreja para repartir outra vez as maravilhas que Deus tem operado em minha vida.

          Como pela manhã, ao começar a vigília às 22:00 horas, a igreja estava completamente lotada. Teríamos um banquete espiritual, pois, nesta noite, quatro pessoas iriam dar testemunho público que entregaram suas vidas ao Senhor, por meio do santo batismo.  O pastor chamou-me em um canto e me fez o seguinte pedido:

          “- George, antes do batismo, quero  lhe pedir que conte outra vez como Deus mostrou-lhe ser a igreja Adventista sua casa aqui na Terra e ao final do testemunho, quando você fizer apelo, caso alguém tome a decisão pelo batismo, ela será batizada juntamente com essas que já se encontram preparadas. Sabemos que isto será um grande milagre, uma vez que normalmente as pessoas só tomam uma decisão depois de muito estudo e exame das escrituras. Porém, vejamos se Deus tem algum plano especial para esta noite,”

          Fiz este acordo com o pastor e comecei a contar minha história. Enquanto falava, senti que Deus derramava seu Santo Espírito naquele templo e que havia ali pessoas sinceras absorvendo cada palavra que proferia. Quando terminei de pregar, fiz um convite muito enfático para que alguém ali presente tomasse a decisão pelo batismo.

          Depois do apelo fechei os olhos e comecei a orar. Neste momento, enquanto alguém cantava uma música especial, ouvi passos na direção do altar. Terminada a música e ao abrir os olhos, havia mais três almas junto ao grupo que já se encontrava pronto para o batismo. 

          Que momento maravilhoso. Que instante abençoado por Deus. Três preciosas vidas se decidem ao lado de Jesus. Continuando, o pastor fez primeiramente o batismo das pessoas que já haviam feito o voto e a seguir reuniu a comissão para decidir quanto ao batismo das outras três. Após uma rápida entrevista com cada uma, descobriu-se que apenas uma jovem entre elas tinha condições de ser batizada naquela noite. Esta jovem chamava-se “Fabíola”. 

            Não sei porque razão, mas ficou decidido que a Fabíola seria batizada na praia do Forte, nas águas do mar. Antes do término da vigília, os Desbravadores foram na frente para a praia a fim de armarem uma fogueira no local onde seria feito o batismo. Horas depois, quando foi encerrada a programação na igreja, grande parte dos membros se dirigiram à praia, a fim de assistirem a cerimonia de batismo da Fabíola.

       Nos reunimos em volta da fogueira e começamos a entoar hinos de louvor ao nosso Pai Celeste. Sem que soubéssemos, alguém que não conhecíamos se aproximava do nosso grupo. Cantamos, oramos e o pastor pregou a palavra de Deus e foi com a Fabíola para a beira do mar, a fim de consumar o batismo. Toda esta encenação estava sendo observada por alguém que não fazia parte do nosso grupo. 

            Depois que a jovem foi batizada, ao sair da água, um rapaz correu ao encontro deles e abraçou ao pastor e a Fabíola e começou a chorar. Em prantos nos contou que naquela noite havia saído de casa na intenção de suicidar-se, porém, foi atraído para o nosso meio pela fogueira e pelas músicas. Quando estava perto e ouviu o testemunho da entrega da vida daquela jovem ao Senhor, decidiu também, nessa mesma noite, dar outro rumo a sua vida e, chorando, solicitou ao pastor que o batizasse. 

          Que coisa fantástica. Como nosso Deus guia nossas vidas pelos caminhos do bem. Nesta cidade, Vila Velha, em apenas dois dias, grandes maravilhas nós contemplamos. O batismo da Fabíola, foi dirigido por Deus naquela madrugada na praia, a fim de alcançar e salvar a vida deste homem, o qual nenhum dos presentes conhecia. 

         Deus escreve certo por linhas certas e no tempo certo. Amém