Atletas da Fé

histórias de milagres

Edson

             A cidade de Tianguá localiza-se no interior do estado do Ceará,  no alto da serra de mesmo nome e por isso tem um clima muito agradável. Nesta cidade conheci o Edson e  a dona Zélia.

          Quando fiz minha quarta viagem missionária, correndo e pedalando, sai do Rio de Janeiro com destino a Belém, capital do Pará. Neste trajeto, precisava fazer um pernoite na cidade de Tianguá. Por causa disto, ao passar em Fortaleza, capital do Ceará, pedi ao dirigente da Missão Nordeste que me arrumasse um local para ficar em Tianguá e também uma igreja onde pudesse dar o meu testemunho, uma vez que passaria por esta cidade em um domingo.

          O pessoal da Missão me deu o telefone de uma senhora por nome Zélia, que mora em Tianguá e era membro da igreja central desta cidade. Ao ligar para esta simpática senhora, ela me disse que havia preparado uma recepção para minha chegada e que um jovem chamado “Edson” estaria me esperando na entrada da cidade com uma caravana para me dar as boas vindas.

          Conforme suas palavras, assim aconteceu, ou seja, ao chegar no alto da serra de Tianguá, após enfrentar uma subida de uns 10 Km, encontrei vários carros a minha espera e um jovem e alegre rapaz, chamado Edson, veio me abraçar e me dar os parabéns pela viagem até aquele momento.

          Ele disse que havia contratado um carro de som para anunciar a minha chegada na cidade e também pediu o apoio da Polícia Rodoviária para me dar proteção enquanto  fizesse um percurso pelas ruas principais da cidade a fim de convidar os habitantes para irem a igreja para ouvirem a história do “atleta missionário” que acabara de chegar do Rio de Janeiro, correndo e pedalando.

          – “Venham todos esta noite a igreja Adventista do Sétimo Dia para ouvirem o testemunho do atleta missionário que veio correndo e pedalando desde o Rio de Janeiro e saibam como Deus o chamou para andar o mundo inteiro com a missão de anunciar a breve volta de Jesus”. 

          Este era o aviso que estava sendo levado ao ar através do carro de som, enquanto percorríamos as ruas de Tianguá.

     À noite, a igreja estava cheia. Muitas pessoas não adventistas atenderam ao chamado para ouvirem minha história.

          Todos os bancos estavam ocupados e havia pessoas pelas janelas e nos corredores. Eu estava ali para contar o testemunho de minha conversão e o fiz da maneira mais empolgante possível.  Ao final, como de costume, fiz um apelo para que as pessoas aceitassem a Jesus como salvador. Várias visitas vieram a frente para um oração de consagração e fiquei surpreso quando vi entre elas o jovem Edson.

          Nas minhas viagens anteriores, nunca fui tão bem recebido em uma cidade como em Tianguá. Jamais poderia imaginar que uma pessoa que não fazia parte da minha fé, pudesse me dar uma atenção tão calorosa como neste lugar. O Edson foi responsável por tudo isso e agora eu não conseguia entender porque ele estava atendendo ao  apelo para entregar a vida ao Senhor.

          Cumprimentei a todos que foram a frente, inclusive ao Edson, fiz a oração de consagração e fui para a casa da irmã Zélia para dormir. Naquela noite a minha anfitriã recebeu uma ligação do Edson pedindo para que eu não fosse embora sem antes falar com ele na segunda-feira.

          Na casa da irmã Zélia fui super bem tratado. Comi, bebi e tive uma noite das mais agradáveis. Na segunda-feira, bem cedo, fui ao encontro do meu anfitrião. Quando chegou, veio contar-me uma história muito triste, porém com final feliz:

          Disse-me que era membro ativo na igreja de Tianguá e que, por desavenças com os irmãos, havia abandonado a congregação e nem pensava em retornar. No entanto, ao me receber na cidade, ouvir meu testemunho e ver a minha dedicação em pregar o evangelho, disse, com lágrimas nos olhos, que a partir daquele domingo, estava retornando para a igreja e que jamais deixaria os caminhos do Senhor.

          Acrescentou ainda que fazia questão de me contar, antes que eu partisse, a fim de me animar a continuar minha jornada certo de que,  naquela cidade, ela havia cumprido a missão para a qual Deus a destinou, ou seja, resgatar perdidos aos seus braços de amor.

          Deixei Tianguá muito feliz após esta notícia e dois anos depois, ao retornar a esta cidade, reencontrei o Edson e este me disse que havia cumprido a sua promessa, quero dizer, não só manteve-se na igreja como também tornou-se ancião da mesma.

          Portanto, que Deus seja louvado pelos séculos dos séculos. Amém.

Open chat